Veja como ter um envelhecimento saudável com 5 dicas

postado em: Saúde | 0

De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), houve grande aumento na expectativa de vida da população mundial. Isso aconteceu tanto por questões de melhoria e conscientização referente aos hábitos de saúde quanto pela redução da taxa de fecundidade. Assim, considerando que ainda viveremos por muitos anos, conhecer como ter um envelhecimento saudável é fundamental, você concorda?

São muitos os desafios que permeiam o aumento da expectativa de vida. Contudo, em regras gerais, é essencial investir no bem-estar físico, social e mental. Assim, você se mantém ativo e com muita saúde.

Quer saber como ter um envelhecimento saudável? Confira as nossas 5 dicas!

1. Cuide da alimentação

Melhorar a qualidade da sua alimentação é fundamental para aumentar a expectativa de vida.

Para ter uma dieta saudável, é necessário reduzir o açúcar e também a quantidade de sal, além de investir no consumo de frutas e verduras. Outra dica importante é comer peixe pelo menos duas vezes na semana, visto que ele é rico em ômega 3 e previne diversas doenças.

O processo será ainda melhor se você investir em uma consulta ao nutricionista, que avaliará a sua saúde. Assim, ele pode elaborar um plano alimentício personalizado para o seu organismo.

2. Não fume

O cigarro, em conjunto às bebidas alcoólicas, é um dos piores malefícios para a saúde. Por isso, a regra é bem clara: não fume.

Manter esse comportamento (ou mesmo esse vício!) aumenta a produção de radicais livres no organismo, conduzindo o seu corpo ao envelhecimento precoce.

3. Pratique atividades físicas

É fundamental investir em atividades físicas que proporcionem o seu bem-estar. A rotina de exercícios ajuda no aumento da flexibilidade e do fôlego, no equilíbrio e na força para as mais diferentes atividades.

Se você não é praticante de esportes, comece investindo em boas caminhadas ou hidroginástica — o importante é encontrar uma atividade física que você goste.

4. Beba muita água

A água é a principal responsável por transportar os nutrientes, sais minerais e oxigênio por todo o nosso organismo. No sistema digestivo, ela também ajuda na excreção e absorção.

Sendo assim, além de investir em uma alimentação e lanches saudáveis, beba pelo menos dois litros de água por dia. Isso ajuda a reduzir o inchaço, afasta as infecções e proporciona um envelhecimento saudável.

5. Cuide da saúde da sua mente

Além das atividades físicas, invista também na saúde da sua mente. Para isso:

  • leia bons livros;
  • vá ao cinema assistir filmes interessantes;
  • jogue com os seus amigos;
  • aprenda uma nova língua;
  • faça caça-palavras.

Essas atividades são essenciais para estimular o raciocínio e fortalecer o cérebro, prevenindo a perda de memória.

Considerando que a expectativa de vida da população mundial está cada vez mais alta, é fundamental investir em ações para promover um envelhecimento saudável. Para isso, estabeleça uma alimentação equilibrada, não fume, pratique atividades físicas, beba muita água e nunca deixe de cuidar de sua saúde mental.

Você gostou de nossas dicas? Então temos certeza de que vai adorar se inscrever na nossa newsletter e receber nossos conteúdos por e-mail. Assine agora mesmo!

4 exercícios para dor nas costas que você precisa conhecer

postado em: Saúde | 0

Você costuma ter desconfortos na região lombar? A prevenção dessas e demais dores é importante para todas as pessoas, em especial, para aquelas que trabalham diariamente sentadas ou em pé (na mesma posição). Por isso, conhecer quais são os principais exercícios para aliviar a dor nas costas é fundamental para melhorar a qualidade de vida.

Isso acontece porque os exercícios são uma maneira poderosa para diminuir o risco de desconfortos lombares. Afinal, ficar sentado esperando a dor passar, não é uma atitude eficaz, não é mesmo?

Por isso, preparamos este post para você! Confira agora mesmo 4 exercícios para prevenir e tratar as dores nas costas. Vamos lá?

1. Alongamentos

Os alongamentos são exercícios muito importantes para prevenir as lesões. Além disso, eles são fundamentais, tanto antes quanto depois, para a realização de qualquer outra atividade física, como corrida, caminhada, musculação, natação, pilates etc.

Como fazer: em pé, junte as suas pernas e dobre o corpo para frente, mantendo as pernas esticadas. Permaneça por trinta segundos nessa posição. Isso permite uma maior flexibilidade dos músculos, promovendo o estiramento das fibras musculares.

2. Perdigueiro no solo

O perdigueiro no solo é um exercício para fortalecer os músculos, promovendo mais resistência do organismo.

Como fazer: fique com os joelhos e as palmas das mãos no chão. Erga a mão direita no mesmo instante em que estende a perna esquerda, fazendo com que eles fiquem paralelos ao chão. Permaneça nessa posição por trinta segundos e depois troque o lado.

3. Ponte ventral

A ponte ventral é um exercício para melhorar o condicionamento físico e fortalecer os músculos. Além disso, ao fortalecer o abdômen você evita que a região da coluna faça uma curvatura e fique acentuada, evitando problemas nessa parte do corpo.

Como fazer: fique na posição de quatro apoios, colocando os antebraços no chão. Eleve o quadril e os joelhos mantendo uma posição de isometria, contraindo os glúteos e também o abdômen. Realize três séries de 20 segundos em isometria.

4. Extensão lombar no solo

A extensão lombar é um excelente exercício para melhorar as dores nas costas, porque trabalha com toda essa região promovendo o fortalecimento dos músculos.

Como fazer: fique na posição de decúbito ventral, com os braços estendidos na parte superior da cabeça. As pernas também precisam estar estendidas para que você possa realizar um leve movimento de extensão lombar. Para isso, eleve as pernas e braços do solo, fazendo três séries de 10 movimentos.

A dor nas costas é um problema muito comum da população. Normalmente, ela é causada porque as pessoas passam muito tempo sentadas ou em pé, sendo impossível ficar com a coluna reta em tempo integral.

Desse modo, conhecer os principais exercícios para dor nas costas é uma maneira eficiente para prevenir e até mesmo acabar com esses desconfortos. Além disso, para melhorar a qualidade de vida, é interessante também investir em atividades físicas regulares e uma dieta saudável.

Gostou do nosso post? Então, que tal compartilhar nas redes sociais? Assim, seus amigos também poderão aprender os exercícios!

Dor nas costas na hora de dormir: veja o que você pode fazer

postado em: Saúde | 0

A dor nas costas é um dos problemas mais comuns de saúde e afeta em média 80% das pessoas no mundo. Obviamente, essas dores interferem diretamente nas noites de sono, em função do total desconforto que inevitavelmente ocorre quando algo não está bem no nosso organismo.

O mais importante é entender que ninguém precisa conviver com esse incômodo para sempre. Afinal, dormir bem é essencial para repor as energias, promover uma boa manutenção do corpo, solidificar a memória e também para regular a temperatura corporal.

Ou seja, se a dor nas costas é uma das causas das noites maldormidas, prejudicando inclusive a qualidade de vida e bem-estar geral da pessoa, então é preciso tomar uma atitude para mandá-la para bem longe.

Quer conferir algumas dicas sobre o que fazer para evitar esse problema? Então, leia as dicas a seguir.

Cuidar da sua postura é o primeiro passo

É muito importante corrigir a postura durante o dia. Porém, no período noturno, isso também é fundamental, já que dormir em uma posição inadequada pode comprometer as articulações, deixando-as tensas.

A posição correta para dormir é deitar de lado, com a cabeça no travesseiro e os joelhos dobrados, separados por outro travesseiro mais fino. Isso alinha a coluna vertebral e deixa o seu organismo em uma disposição confortável para o devido descanso.

Vale a pena investir em uma cama aconchegante

Outro aspecto que influencia diretamente no seu repouso e também previne a dor nas costas é a qualidade dos recursos que você utiliza para descansar. Um colchão muito velho, muito duro ou macio demais, por exemplo, pode ocasionar problemas na sua rotina noturna.

Por isso, escolha um colchão de acordo com o seu gosto, mas que seja feito de materiais de qualidade e adequado para o biótipo de quem vai usá-lo. Na dúvida, peça ajuda ao seu médico sobre o colchão ideal — ele conhece o seu problema e seu organismo e pode indicar o tipo mais adequado para o seu caso (colchões ortopédicos, molas ensacadas ou espuma).

Além disso, para melhorar a qualidade do seu sono é fundamental investir em exercícios físicos e ter uma dieta saudável. Dessa maneira, há mais garantias de que o seu organismo vai funcionar corretamente, garantindo o repouso ideal.

É preciso escolher (e usar) o travesseiro certo

Travesseiros muito altos ou muito baixos podem agravar a dor nas costas. Por isso, escolha um modelo que seja adequado ao seu corpo.

É essencial experimentar o travesseiro antes de efetivar a compra. Assim, você tem a certeza de que a sua coluna ficará na posição correta e evitará dores nas costas.

Além disso, também é importante verificar o prazo de validade do travesseiro. Isso porque ele costuma acumular 300 mil ácaros e bactérias em apenas três meses de uso — o que traz consequências negativas para a sua saúde.

A dor nas costas é um problema muito comum na vida das pessoas. Contudo, quando não dormimos bem, o dia seguinte é sempre uma tortura. Isso acontece porque durante o sono o nosso organismo se recupera e descansa, para que tenhamos energia para o dia seguinte. Por isso, saber o que você pode fazer para diminuir esses desconfortos é fundamental para garantir a qualidade de vida.

Neste post, você conferiu algumas dicas para dormir melhor, mesmo sofrendo de dor nas costas. Se você achou este conteúdo interessante, não pode deixar de compartilhá-lo nas suas redes sociais. Dessa forma, os seus amigos também podem aprender a como dormir bem!

Dor no Tornozelo: Quais as causas e o que fazer.

postado em: Saúde | 0

Com certeza você também já deve ter sentido dor no tornozelo em algum momento da sua vida. Afinal, essa sensação dolorosa é muito comum e pode afetar pessoas de qualquer idade. Isso porque as suas causas são muito distintas, o que faz variar a sua gravidade e intensidade.

Essa articulação é muito importante para manter a sustentação do corpo e a estabilidade ao caminhar. Por isso, ainda que a dor no tornozelo seja leve, é importante descobrir as suas causas e tratá-la adequadamente. O intuito é evitar que um pequeno problema de hoje se torne uma grande complicação amanhã.

Para entendermos melhor o que provoca dores nessa articulação fomos conversar com o Dr. Tiago Doyle, médico ortopedista especialista em cirurgia do pé e tornozelo e cirurgia do trauma. Continue lendo e entenda o que causa essa dor, como ela pode ser tratada e as suas formas de prevenção.

Quais são as principais causas da dor no tornozelo?

O tornozelo é a articulação que faz a ligação das pernas e dos pés. Ele é uma estrutura estável composta por três ossos com ligamentos e tendões que mantêm a sua estabilidade. Sua função é receber e distribuir para os pés toda a carga de peso que vem do corpo.

Por causa disso, essa articulação está muito propensa a sofrer sobrecarga e estresse. Essas condições se manifestam em forma de dores, incômodos e até mesmo lesões. Isso torna mais grave quando o indivíduo apresenta uma doença ou problema que deixa os tornozelos mais fracos e sensíveis.

A dor que se manifesta nessa região pode não ser nada muito grave, como também indicar uma condição que exige mais atenção. Algumas das suas causas são:

Problemas na pisada

O modo como uma pessoa sustenta o pé no chão (pisa) pode desencadear a dor no tornozelo. Isso acontece porque existem três tipos diferentes de pisada, sendo:

  • supinada: quando a concentração do peso do corpo é maior na parte de dentro dos pés;
  • pronada: quando a concentração do peso é maior na parte de fora dos pés;
  • neutra: peso é distribuído de forma equilibrada sobre os pés.

No caso das pisadas supinada e pronada a forma como os pés tocam no chão acabam forçando a articulação do tornozelo para dentro ou para fora. Essa posição inadequada causa dor na região e, com o tempo, leva a lesões nessa e outras articulações.

Entorses

Popularmente chamada de torção no tornozelo, a entorse é uma lesão ligamentar muito comum, que acontece quando ocorre uma movimentação anormal da articulação dessa região, o famoso “dobrar o pé”. Essa posição inadequada força os diversos ligamentos que ajudam a dar estabilidade para a articulação.

A entorse varia em gravidade, sendo classificada em três graus diferentes de acordo com o dano causado nos ligamentos. São eles:

  • entorse de grau 1: ocorrem microlesões nos tecidos;
  • entorse de grau 2: acontece uma ruptura parcial do ligamento;
  • entorse de grau 3: essa ruptura é total, rompendo o tecido.

Em todos os casos é essencial fazer a reabilitação da articulação para evitar a sua instabilidade no futuro.

Doenças em inflamações

Algumas doenças e inflamações também acometem essa articulação promovendo dor no tornozelo. Entre elas podemos citar aquelas mais comuns que são:

  • tendinite: inflamação que se manifesta quando um dos tendões é danificado, geralmente em função de movimentos repetitivos ou esforço excessivo;
  • gota: doença reumática classificada como condição crônica que provoca inflamação grave nas articulações;
  • artrite: inflamação que afeta uma ou mais articulações do corpo provocando sensações dolorosas e rigidez, tende a piorar conforme a idade avança;
  • artrose: problema degenerativo que afeta os tecidos flexíveis localizados nas extremidades dos ossos. Ele se desgasta, os ossos ficam mais grossos e atritam entre si;
  • artrite reumatoide: inflamação sistêmica das articulações que provoca o desgaste delas causando dores que se manifestam, principalmente, de manhã ou após um longo período de repouso;
  • bursite: Inflamação que afeta as bursas, que são bolsas de líquido que protegem as articulações do corpo.

Como aliviar essa sensação dolorosa?

Quando a dor no tornozelo tem origem inflamatória, ou essa articulação sofreu um trauma como uma entorse, ela pode ser aliviada com uma compressa fria. A baixa temperatura ajuda a desacelerar o processo inflamatório e reduz o inchaço.

Manter o tornozelo elevado também é uma ótima medida paliativa para minimizar inchaços e hematomas provocados por lesões. Lembrando que em todos os casos é importante reduzir a carga de atividades para que o tornozelo se recupere.

O uso de sprays para contusão ajuda quando o problema está nos músculos e outros tecidos flexíveis. No caso de optar por eles, é importante seguir as instruções de uso para alcançar os benefícios esperados.

Quando a dor não cessa, é intensa demais, não é possível movimentar o tornozelo ou apoiar o pé no chão, é fundamental procurar um médico. Isso porque a lesão pode ser mais grave e exigir intervenções complexas.

Quais tratamentos são adotados para essa dor?

O tratamento para dor no tornozelo varia de acordo com aquilo que está causando esse sintoma. No caso das manifestações agudas, o uso de tornozeleiras ortopédicas pode ser suficiente para permitir a recuperação da articulação.

Quando alguma doença se manifesta, no caso de inflamações, o uso de medicamentos pode ser recomendado. E para aquelas classificadas como crônicas, é necessário tanto uso de remédios quanto o acompanhamento com um profissional.

Para situações mais complexas como as malformações e fraturas, as cirurgias são uma opção. Porém, isso é avaliado de acordo com cada paciente e observando se não é possível adotar terapias não invasivas.

Sessões de fisioterapia e o uso de calçados ortopédicos também são formas de tratar a dor no tornozelo. Concomitantemente, costuma ser indicado o uso tornozeleiras que atendam a necessidade da pessoa.

Esses equipamentos ajudam a realizar uma compressão na articulação, ao mesmo tempo em que a mantém aquecida. Eles oferecem estabilidade para essa estrutura e sua musculatura prevenindo as lesões e ajudando na recuperação quando há um problema estabelecido.

O que ajuda a prevenir a dor no tornozelo?

As manifestações agudas de dor no tornozelo causadas por movimentos repetitivos, sobrecarga, esforço excessivo ou entorses podem ser prevenidas com o uso de tornozeleiras ortopédicas. Elas também ajudam a evitar lesões mais graves.

São ideais para quem pratica atividades físicas de impacto, atletas e pessoas que têm essa articulação fraca ou fragilizada. Afinal, esses grupos estão mais suscetíveis a sentirem dores nessa região.

Existem diversos modelos de tornozeleiras que atendem a diferentes necessidades. A elástica ajuda a dar estabilidade e faz uma leve compressão no tornozelo, mas para quem precisa de um pouco mais de firmeza, o ideal é usar a Aircast, que dá mais sustentação para a articulação — é ideal para quem está se recuperando, a fim de evitar recidivas.

Já a tornozeleira Newprene é ideal para quem precisa tanto de estabilidade como manter a temperatura do tornozelo um pouco mais alta. Esse é o caso de quem sofre com doenças como artrose e artrite, que se agravam com frio.

A prevenção também é feita por meio de alongamentos pela manhã e antes da prática de exercícios. Além disso, no caso de atividades laborais repetitivas ou permanecer muito tempo na mesma posição, é importante fazer pausas regulares para alongar e ativar a circulação sanguínea.

Embora nem sempre seja grave, a dor no tornozelo incomoda bastante e, dependendo daquilo que a está causando, tende a piorar com o tempo. Por isso, é importante cuidar dessa articulação adotando medidas preventivas e buscando a ajuda de um ortopedista sempre que houver dúvidas.

Conheça as opções de tornozeleiras oferecidas pela Salvapé e outros produtos que ajudam aumentar a qualidade de vida. Entre em contato conosco e converse com um dos nossos especialistas.

Os 3 principais tipos de joelheiras ortopédicas para cada momento

postado em: Saúde | 0

Pessoas que apresentam problemas no joelho podem ter uma maior estabilização dessa articulação com o uso de joelheiras ortopédicas. Esse equipamento ajuda a proteger essa parte do corpo e evitar lesões, bem como favorecer a recuperação quando a pessoa já passou por algum problema.

Mas você sabia que existem diversos tipos de joelheiras e que cada um deles é mais indicado para um determinado momento? Para que você entenda melhor quais são esses tipos e quando é indicado usar o equipamento, nós fomos conversar com o Professor Dr. Daniel Esperante.

Em entrevista, ele nos explicou sobre as diferentes joelheiras ortopédicas, bem como a importância de usá-las e para quem elas são indicadas. Continue lendo para conferir os esclarecimentos do especialista e descobrir se você também precisa de joelheira.

A importância de usar joelheiras ortopédicas

As joelheiras ortopédicas são equipamentos importantes e eficazes para proteger os joelhos. Elas atuam como estabilizadores que fazem a proteção dos ligamentos de diferentes formas, seja evitando desvios ou reduzindo a carga de peso, por exemplo.

Os resultados variam em função dos diferentes tipos que existem, mas o fato é que independentemente, do que se deseja alcançar, as joelheiras são fundamentais para evitar que o joelho seja lesionado.

Mas não se resume a isso, porque esse equipamento também é um excelente auxiliar para os processos de recuperação. Então, ele também pode ser indicado quando a pessoa sofreu alguma lesão ou passou por uma cirurgia.

Isso porque, como ajuda a estabilizar a articulação, a joelheira favorece o processo de cicatrização. Ela ajuda a firmar, proteger e alinhar o joelho quando ele está enfraquecido ou fragilizado.

Mas é muito importante entender que é fundamental usar o tipo certo para alcançar o resultado esperado. Sendo assim, a automedicação para joelheira pode ser um problema, porque o uso do equipamento de forma errada traz outros tipos de complicações.

Pessoas que apresentam volume de coxa muito grande, por exemplo, quando usam a joelheira errada ela começa a garrotear. Isso não significa que o equipamento não possa ser usado, mas que é preciso uma orientação especializada para que se escolha o tipo certo.

Tipos de joelheiras

Ao procurar no mercado você encontra diversos modelos e tipos de joelheiras ortopédicas, e cada uma delas possui uma indicação diferente. Isso porque a forma como protegem o joelho varia, e sendo assim, é fundamental escolher de acordo com a necessidade de cada um.

Uma pessoa que tem um joelho dito normal não têm as mesmas necessidades daquelas que apresentam quadro de artrose ou já sofreram algum tipo de lesão. Os dois últimos casos é fundamental garantir uma maior estabilidade para articulação, em função da maior suscetibilidade para traumas.

Existem três tipos principais de joelheiras ortopédicas, e a seguir você pode ler um pouco mais a respeito de cada um deles.

1. Faixa simples

Esse tipo de joelheira é bastante popular entre praticantes de levantamento de peso. Trata-se de um equipamento muito simples, porque na verdade é apenas uma faixa elástica que é posicionada ao redor de joelhos formando uma espiral.

Esse modelo ajuda a evitar lesões, mas precisa ser utilizado da forma correta. Quando isso não acontece, pode ocorrer uma pressão excessiva da patela contra a cartilagem do fêmur, o que causaria danos para essa estrutura.

2. Elástica

A joelheira elástica é a mais comum entre os esportistas e pessoas que praticam atividades físicas com um nível que varia de média a alta intensidade. A sua função é dar suporte aos joelhos para evitar lesões quando eles são saudáveis.

Esse equipamento também é bastante simples, porque se trata apenas de uma faixa que você veste como se fosse uma meia e posiciona à altura da articulação. A pressão promovida pelo material ajuda a estabilizar o joelho.

3. Órtese

Dos tipos de joelheiras ortopédicas esse é aquele que possui uma estrutura um pouco mais complexa, para manter o joelho alinhado, evitar desvios, realizar compressão e, em alguns casos, limitar o movimento da articulação.

As órteses são indicadas para reabilitação ou têm um aspecto funcional. Elas protegem os ligamentos e auxiliam na recuperação quando já existe uma lesão ou a pessoa passou por uma cirurgia. Oferece uma grande estabilidade e conforto para o joelho, evitando que problemas se agravem.

É importante ressaltar que na hora de escolher o melhor equipamento o especialista considera tanto a necessidade de cada pessoa como também as condições do paciente. Isso para que possa indicar o melhor tipo de joelheira, que trará os resultados desejados sem causar efeitos negativos para outras estruturas.

Quem pode usar joelheiras ortopédicas

É indiscutível que as joelheiras ortopédicas são um excelente recurso para cuidar da saúde do joelho, em especial de pessoas que realizam atividades físicas e aquelas que já sofrem com algum tipo de problema que afeta essa articulação.

Entretanto, ainda que traga diversos benefícios, o uso indiscriminado de joelheiras é contraindicado. Como dito, existe o modelo certo para cada pessoa, e não são todas que precisam usar esse equipamento constantemente.

As joelheiras são indicadas para quem pratica atividades onde existe um maior risco de ocorrerem lesões, como no caso de esportes mais intensos ou de contato. Mas isso não significa que o uso de joelheira é essencial somente por praticar atividades físicas.

Para quem já sofreu algum tipo de lesão ou apresenta condições orgânicas que afetam o joelho, o equipamento de proteção também é um excelente recurso para evitar maiores complicações.

Mas mesmo nesses casos é essencial consultar um especialista para que ele possa indicar o melhor tipo de joelheira. Além disso, o profissional também observará se não existe nenhuma contraindicação para o uso, como no caso de a pessoa sofrer com algum tipo de problema de pele.

A joelheira em si não traz problemas, mas o seu uso incorreto é que pode gerar complicações. Por isso, mais uma vez ressaltamos que elas não podem ser um acessório, mas ter uma finalidade funcional e de proteção.

Se você pratica ou pretende começar a praticar exercícios ou algum esporte, se apresenta alguma doença ou problema que afeta os joelhos, e ainda se sente dores nessa articulação, é importante procurar por um especialista.

Ele avaliará o seu caso e indicará a joelheira, se for necessário. Dessa forma, você terá a certeza de estar usando o equipamento certo, que de fato protegerá os seus joelhos sem trazer riscos de outras lesões.

Joelheiras ortopédicas são excelentes aliadas tanto para os especialistas como para seus pacientes. Afinal, são auxiliares no tratamento e na prevenção, o que possibilita reduzir as chances de lesões, minimizar dores e trazer mais qualidade de vida para as pessoas.

Saiba mais sobre os diferentes tipos de joelheiras ortopédicas. Entre em contato conosco para conversar com um dos nossos especialistas e esclarecer suas dúvidas, ou acesse nosso site e conheça nossa linha completa de joelheiras.

 

Afinal, o que é a dor de joelho e como podemos tratá-la?

postado em: Saúde | 0

Você sabia que uma em cada três pessoas adultas sofre com dor no joelho? E não existe apenas uma razão para que ela aconteça porque, na verdade, suas causas são bastante variadas. Mas independentemente daquilo que a provoca, é fato que ela incomoda bastante e pode causar limitações para quem a sente.

Por isso, nós conversamos com o Professor Dr. Daniel Esperante para que ele nos esclarecesse um pouco mais a respeito da dor no joelho. Ele nos explicou quais são as suas principais causas, as consequências de não tratá-la e as opções de tratamento que existem.

Se você também sente esse incômodo, continue lendo nosso artigo para saber o que pode estar ocasionando essa condição. Confira informações importantes que poderão lhe ajudar a ter mais qualidade de vida.

Sobre a dor de joelho

Não existe uma idade certa para a dor no joelho se manifestar. Isso porque, como dito, as suas causas são muito variadas, provocando tanto quadros agudos como crônicos. Apesar disso, é fato que a idade é um agravante para ela.

Afinal, conforme o organismo envelhece a dor no joelho aumenta em frequência e gravidade. E não podemos esquecer que pessoas mais velhas têm maior tendência a apresentarem problemas nos ossos e outras estruturas, o que também afeta o joelho.

Ainda assim, o perfil dos pacientes com dores de joelho é bastante variado. Ela também ocorre em pessoas de ambos os sexos, mas é mais recorrente em mulheres, com uma incidência de 50% mais do que para os homens.

A explicação está no fato de que a composição óssea feminina é mais frágil do que a masculina. Com isso, existe maior probabilidade de desgaste para elas, uma explicação para também serem a maioria nos casos de osteoporose.

E isso não ocorre somente com mulheres maduras, porque a dor no joelho também se manifesta em jovens na faixa etária dos 20 aos 24 anos, com uma incidência que chega a superar 40%. Não podemos esquecer que o uso de sapatos com salto alto é um agravante para esse incômodo.

Principais causas dessa dor

Diversos fatores podem causar danos e sobrecarga nos joelhos provocando as dores. Além disso, as características individuais da anatomia de cada indivíduo também podem desencadear esse incômodo.

Isso significa que a dor no joelho pode se manifestar de um problema congênito, um fator externo isolado ou como consequência de agressões e sobrecargas recorrentes. A seguir, listamos algumas das suas principais causas. Acompanhe:

Lesões e traumas

A dor no joelho pode se manifestar em função de uma lesão, trauma ou de sobrecarga nessa articulação. É bastante comum que pessoas jovens, por exemplo, apresentem esse problema em função da prática de esportes, que leva a um esforço grande do joelho.

Ela também pode ser decorrente de algum acidente sofrido, uma torção ou excesso de peso colocado sobre articulação. Distensões, luxações, lesão meniscal, tendinites, ruptura de tendões e lesão ligamentar são alguns dos problemas possíveis para essa manifestação dolorosa.

Problemas ósseos

A artrite e a artrose são dois problemas que afetam a estrutura óssea e seus ligamentos, e podem provocar dor no joelho. Essas doenças são mais recorrentes em pessoas com idade mais avançada, e ainda têm a característica de serem degenerativas.

Por isso, conforme a idade avança, existem maiores chances de a dor se manifestar em função desses problemas. Além disso, quando ela ocorre, também pode aumentar a sua intensidade se não receber o tratamento adequado.

Alterações morfológicas

As alterações morfológicas podem acompanhar o indivíduo desde o seu nascimento ou serem a consequência de algum fator externo ou agressão. Essa variação estrutural pode comprometer da patela, por exemplo, levando ao seu desgaste precoce e ocasionando a dor.

Uma lesão mais severa no joelho, cuja cicatrização não tenha ocorrido de forma adequada, pode deixar sequelas, que também causam dor. O mesmo ocorre nos procedimentos cirúrgicos mal sucedidos, seja pelo procedimento em si ou descuidos no pós-operatório.

Doenças

Existem diversas doenças que ocasionam dor no joelho. O reumatismo e o Lúpus são dois bons exemplos disso, mas também pode ocorrer a tendinite, a bursite e infecções na articulação.

Não podemos esquecer que existem problemas que afetam especificamente o joelho. Esse é o caso da doença de Osgood-Schlatter, a síndrome da banda iliotibial e o cisto de Baker. Todos exigem atenção específica.

Consequências de não tratar a dor de joelho

A dor é uma manifestação que indica que algo está errado no corpo. Por isso, se o joelho dói, quer dizer que ele não está trabalhando como deveria, está sofrendo ou sofreu alguma agressão.

Quando esse problema não é devidamente investigado e tratado podem ocorrer lesões em diferentes estruturas. Nem sempre isso se manifesta no curto prazo, mas pode determinar como serão as condições clínicas dessa pessoa no futuro.

Uma lesão nos ligamentos cruzados, por exemplo, aumenta expressivamente as chances de lesão no menisco que, no futuro pode evoluir para um quadro irreversível de artrose. Sendo assim, se a dor no joelho não é tratada hoje é fato que amanhã algum outro problema se manifestará.

Opções de tratamento

É importante saber que nem sempre a dor no joelho tem uma cura, e que isso varia dependendo da causa. Quando é possível alcançar uma solução definitiva geralmente técnicas cirúrgicas são adotadas para isso.

Embora eficazes, a recuperação é longa, o procedimento complicado e, muitas vezes, é necessário substituir a articulação por uma prótese. Sob essas condições as órteses são recomendadas no pós-operatório e durante o processo de recuperação, para que ele seja mais rápido, confortável e tranquilo para o paciente.

Mas o tratamento para dor no joelho depende muito do que a está provocando, de toda forma, para 90% das pessoas tratamentos com órteses e terapias não invasivas são eficientes. Eles ajudam a reduzir as dores e melhoram significativamente a locomoção e qualidade de vida.

As órteses são recomendadas para quem sente dor porque oferecem suporte para a movimentação da articulação. Sua indicação é para quem já está com uma lesão instalada, e precisa se recuperar, ou para ajudar a evitar lesões futuras. Além disso, por não deixar o joelho sobrecarregado ela também reduz a dor.

O perigo da automedicação

É muito comum que as pessoas que sentem dor no joelho realizem a automedicação, consumindo analgésicos e anti-inflamatórios. O problema é que o uso indiscriminado dessas substâncias, especialmente quando prolongado, traz sérios riscos para a saúde.

Esses medicamentos podem causar danos graves ao fígado e aos rins, provocando a insuficiência desses órgãos. Essas condições exigem um tratamento complexo e colocam em risco a vida do paciente.

É por isso que o recomendado, nesses casos, é procurar um especialista e utilizar apenas os medicamentos indicados por ele. Preferir as soluções de tratamento não invasivo e conservador, como a fisioterapia e as órteses, também ajuda a evitar danos ao organismo.

Medidas preventivas para dor no joelho

Como as causas da dor no joelho são muito variadas, as formas de prevenção também são distintas. Alguns problemas e agressões podem ser evitados com a prática de atividades físicas, o fortalecimento da musculatura e a manutenção do peso corporal.

Nesse último caso, é importante destacar que existem, sim, pessoas com peso corporal adequado que apresentam dores no joelho, mas o excesso dele leva a uma sobrecarga da articulação, o que pode causar complicações para ela.

Não podemos esquecer que, quando existe um diagnóstico e é indicado um tratamento, ele deve ser seguido conforme a recomendação do especialista. Isso ajudará a evitar o agravamento de uma lesão ou doença, minimizando as complicações e prevenindo a dor.

O uso de órteses durante a prática de exercícios e atividades físicas é interessante quando existe maior risco de lesão, como na dança ou corrida. No mais, é interessante consultar um especialista para que ele indique o melhor tipo de órtese e as situações em que ela é indispensável.

Em muitos casos a dor no joelho não tem cura, ou o tratamento é arriscado demais. Por isso, além de conhecer sua causa é interessante recorrer a métodos não invasivos para alcançar bons resultados e ter qualidade de vida, sem sentir dor a todo momento ou colocar sua saúde em risco.

Se você sente dores nos joelhos e seu médico recomendou o uso de joelheiras, conheça a mais nova órtese para joelhos da SalvaPé: a Joelheira Free Knee®.

Gostou dessas informações? Entre em contato conosco para conversar com um dos nossos especialistas e esclarecer suas dúvidas, ou acesse nosso site e conheça nossa linha completa de joelheiras.

 

Aprenda como fazer uma dieta saudável agora mesmo!

Aprenda como fazer uma dieta saudável agora mesmo!

postado em: Estilo de Vida, Saúde | 0

Ao contrário do que algumas pessoas pensam, passar fome, definitivamente, não é sinônimo de emagrecimento. Se esse é o seu objetivo, você vai precisar mudar seus hábitos e aprender como fazer uma dieta saudável.

Uma alimentação equilibrada, alinhada com a prática de exercícios físicos, contribui não somente para a perda de peso, mas também para prevenir doenças, aumentar a imunidade e, é claro, proporcionar melhoria da qualidade de vida e bem-estar.

Se você quer aprender a fazer uma dieta saudável, continue a leitura e veja as nossas dicas agora mesmo!

Inclua alimentos com carboidratos

Você já deve ter ouvido falar que, para emagrecer, é necessário riscar os carboidratos da sua vida. Porém, eles são fontes de energia e funcionam como uma espécie de combustível, que mantém o seu corpo funcionando automaticamente.

Quando você exclui esse alimento da dieta, contribui para que o cérebro e as células vermelhas do sangue não funcionem adequadamente, trazendo riscos para o sistema nervoso central.

O ideal é consumi-lo principalmente na parte da manhã, porque o corpo precisa de mais energia para realizar as tarefas diárias. Você encontra os carboidratos em:

  • cereais;
  • pães;
  • massas;
  • arroz;
  • tapioca;
  • batata-doce;
  • milho.

Invista nas proteínas

As proteínas deveriam estar em primeiro lugar na nossa dieta, porque ajudam nas funções celulares — sendo fundamentais para melhorar as defesas do organismo e para fortalecer a musculatura.

Elas também são responsáveis pelo crescimento e reparação dos tecidos, ajudando a aumentar a massa magra. Além disso, elas ajudam a ter mais energia (evitando o sono e cansaço).

Você encontra proteínas em:

  • carnes;
  • ovos;
  • cogumelos;
  • arroz;
  • feijão;
  • quinoa;
  • sementes;
  • peixes.

Dê preferência para alimentos integrais

Os produtos integrais são ricos em vitaminas, minerais e fibras. Você pode, por exemplo, substituir os alimentos normais pelos integrais, como o pão e o arroz.

A grande vantagem é que o alimento integral não é refinado no seu processo de fabricação, ou seja, mantém intacta a integridade dos seus nutrientes. Confira os benefícios:

  • melhora o funcionamento do intestino;
  • proporciona saciedade;
  • favorece a absorção da glicose e gordura;
  • aumenta a quantidade de lactobacilos;
  • reduz o risco de diabetes.

Não consuma refrigerantes

Os refrigerantes são os vilões de qualquer dieta porque eles têm muito açúcar e são extremamente calóricos. As bebidas industrializadas são ricas em fosfato, que elimina o cálcio e resulta no enfraquecimento dos ossos e osteoporose.

Por isso, em vez de beber refrigerante, aposte na água, que tem 0 caloria e ainda proporciona o bom funcionamento do seu organismo.

Siga a orientação de um nutricionista

Sabemos que muitas pessoas que desejam ter uma alimentação saudável procuram por dietas na internet ou seguem as orientações de alguém que teve sucesso no emagrecimento.

Porém, se você deseja se alimentar corretamente e evitar frustrações por não atingir os seus objetivos, é fundamental investir em um profissional qualificado para ajudar nesse processo.

O nutricionista conhece os seus hábitos, o seu biotipo, os seus costumes e elabora uma dieta nutritiva e personalizada para o seu dia a dia, substituindo alimentos que você não gosta e ajudando a alcançar resultados satisfatórios em menos tempo.

Saber como fazer uma dieta saudável é essencial para ter a certeza de que o organismo está trabalhando da maneira adequada, contribuindo para a melhoria na sua qualidade de vida e bem-estar.

Neste post, ensinamos como fazer uma dieta saudável. Você gostou do nosso conteúdo? Então nos siga no Facebook e Instagram e acompanhe as nossas publicações!

5 lanches saudáveis para o dia a dia e como prepará-los!

5 lanches saudáveis para o dia a dia e como prepará-los

postado em: Saúde | 0

O hábito de consumir lanches saudáveis no dia a dia é uma atitude que garante a sua qualidade de vida e bem-estar. Uma alimentação saudável está diretamente relacionada à variedade da dieta.

É importante investir em uma alimentação que mescle os lipídios, carboidratos e proteínas, não somente nas refeições principais, mas também nos lanches — isso favorece o bom funcionamento do organismo e mantém o metabolismo equilibrado.

Por isso, preparamos 5 ideias de lanches saudáveis para você fazer no seu dia a dia. Confira!

 1. Wrap com creme de abacate

O wrap é feito com um pão achatado e enrolado, em que você pode colocar diversos recheios. Na receita a seguir, vamos ensinar você a preparar um delicioso wrap sem glúten. Confira!

Ingredientes

Massa

  •  ½ xícara de chá de farinha de arroz integral (ou farinha de grão-de-bico);
  • 2 colheres de sopa de farinha de linhaça;
  • 1 xícara de chá de água fervente;
  • ½ xícara de chá de goma de tapioca hidratada;
  • ½ xícara de chá de sal marinho;
  • óleo para untar;

Recheio creme de abacate

  • 1 colher de sopa de vinagre de maçã;

  • 1 colher de sopa de azeite extra virgem;
  • salsa e cebolinha picadas a gosto;
  • sal e pimenta-do-reino a gosto;
  • 1 abacate pequeno maduro.

Modo de preparo

Massa

Misture todos os ingredientes. Em seguida, acrescente a água, mexendo até ficar uma massa consistente. Deixe a massa descansar por 5 minutos e depois divida-a em 6 bolas pequenas. Na sequência, abra as bolinhas e deixe-as na espessura de uma tortilha. Leve ao fogo em uma frigideira (de preferência) antiaderente com um pouquinho de óleo. É preciso assar a massa de ambos os lados.

Recheio

Amasse bem o abacate e misture bem aos outros ingredientes. Na sequência, coloque sobre a massa do wrap e enrole. 

2. Canelone de abobrinha

O canelone de abobrinha é uma excelente opção para substituir os tradicionais canelones com massas.

Ingredientes

Modo de preparo

Grelhar a abobrinha no azeite e reservar. Misturar a ricota, o sal e o azeite. Juntar as amêndoas. Rechear as fatias de abobrinha e enrolar. Arrumar os rolinhos em um refratário e cobrir com o tomate. Ao final, polvilhe o parmesão e a salsa. Leve ao forno preaquecido até dourar.

3. Sanduíche de pão sírio integral com ricota

Os sanduíches são lanches fáceis e rápidos de preparar. Além disso, você pode caprichar nos recheios e ter sempre uma alimentação diferente.

Ingredientes

  • 1 unidade de pão sírio integral aberto ao meio;
  • 1 fatia de ricota;
  • 1 folha de salada verde;
  • 4 fatias finas de tomate;
  • 1 fatia de peito de peru.

Modo de preparo

Pegue o pão sírio integral aberto ao meio e recheie com os ingredientes. Você ainda pode inserir mais recheio conforme o seu gosto.

4. Torrada com patê de atum

As torradas são uma boa opção para variar os sanduíches e para utilizar aquele pão que não está novo.

Ingredientes

  • 2 fatias de pão integral;
  • patê de atum;
  • salsa e cebolinha.

Modo de preparo

Pegue as duas fatias de pão e recheie com o patê. Ao final, polvilhe a salsa e cebolinha (ou temperos do seu gosto).

5. Frutas com iogurte

As frutas com iogurte são uma ótima opção para quem busca praticidade e sabor.

Ingredientes

  • frutas da estação;
  • iogurte light.

Modo de preparo

Corte as frutas em cubos e misture com o iogurte. Você pode acrescentar granola e linhaça.

Os lanches saudáveis são importantes para garantir a sua saúde, bem-estar e qualidade de vida. Com uma dieta balanceada, você tem a certeza de que o seu corpo está funcionando corretamente, de uma maneira equilibrada. Para ajudar a ter uma vida ainda melhor, aproveite para alongar-se diariamentefazer exercícios e dormir bem

Se você gostou do nosso post, aproveite para compartilhar nas suas redes sociais! Assim, os seus amigos também terão a chance de conferir as nossas dicas!