Lesão no Tendão de Aquiles: Entenda como acontece e como Prevenir

postado em: Saúde | 0

Você já ouviu falar em lesão no tendão de aquiles? Essa estrutura, situada na parte de trás da perna, entre a panturrilha e o calcanhar, é muito sensível e pode sofrer uma ruptura, especialmente entre os praticantes de esportes.

Quer descobrir mais sobre esse problema? No post de hoje, separamos as informações mais importantes sobre esse tipo de lesão, suas causas, sintomas, fatores de risco, tratamento e prevenção. Acompanhe!

Como é a anatomia do tendão de aquiles?

O tendão de aquiles, conhecido também como tendão calcâneo, é o tendão mais forte do corpo. Sua estrutura é composta por um tecido fibroso que liga os músculos da panturrilha — gastrocnêmios e solar — até o calcanhar. Quando os músculos da perna são flexionados, o tendão puxa o calcanhar, movimento realizado para conseguirmos ficar em pé, andar e correr.

Embora seja o tendão mais forte do corpo, esse é também o mais vulnerável a lesões. Segundo o Dr. Maurício Póvoa Barbosa (CRM 87166), médico ortopedista na Clínica Orthobone, HCor e no Hospital Moriah e membro titular na SBOT (Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia), ABTPE (Associação Brasileira de Medicina e Cirurgia do Tornozelo e Pé), AAOS (American Academy of Orthopaedic Surgeons) e AOFAS (American Orthopaedic Foot & Ankle Society), o que torna essa estrutura desprotegida é que sobre ela está apenas uma fina camada de gordura e pele.

Além disso, outros fatores que contribuem para essa questão é que o músculo gastrocnêmio, ao qual o tendão calcâneo está diretamente ligado, atravessa 3 articulações: o joelho, o tornozelo e o subtalar, o que gera muito estresse mecânico. Somado a isso, o baixo irrigamento sanguíneo na região também contribui para a sua sensibilidade.

Como acontecem as lesões nesse tendão?

Geralmente, a lesão no tendão de aquiles acontece nos chamados atletas de final de semana. “Essas pessoas não fazem o fortalecimento e alongamento adequado e são suscetíveis a lesões”, cita Barbosa. Assim, na maioria das vezes, os pacientes não apresentam queixas até sofrer problemas após uma contração excêntrica abrupta do músculo, o que gera ruptura do tendão.

Quais as principais lesões no tendão de aquiles?

Além da ruptura, que, como o próprio nome indica, é um rasgo no tendão, outros tipos de lesão também podem acontecer no local. Conheça quais são elas a seguir.

Tendinite

Essa condição é muito comum e ocorre quando o tendão fica inflamado, o que causa dor e rigidez na região do calcanhar. Entre as causas do problema estão estresse repetitivo na estrutura, músculos da perna pouco desenvolvidos e esporão no calcâneo.

Tendinose

A tendinose se refere ao espessamento gradual do tendão de aquiles, sem inflamação aparente, que acontece principalmente pelo seu uso excessivo. Esse problema faz com que o tendão fique cada vez mais fraco e suscetível a novas lesões.

Bursite

A bursa é uma pequena bolsa de líquido que fica entre o tendão e o osso, que protege essas estruturas do atrito durante a movimentação. Por causa de traumas, a bursa pode ser lesionada e ficar inflamada.

Quais são os sintomas?

Os sintomas característicos de uma lesão no tendão de aquiles incluem:

  • dor aguda, muito forte e abrupta na panturrilha ou atrás do tornozelo, semelhante à dor provocada por uma pedrada;
  • inflamação, com sinais como rubor (vermelhidão) e edema (inchaço) no local da lesão;
  • estalo, ouvido no momento da ruptura do tendão;
  • incapacidade de ficar na ponta dos pés, de apoiá-los no chão e de caminhar.

Quais os fatores de risco?

De acordo com o Dr. Maurício, o uso de medicamentos para o controle do colesterol, como a sinvastatina, e até mesmo o uso de alguns antibióticos podem aumentar as chances de ruptura do tendão, pois sensibilizam ainda mais essa estrutura.

Como prevenir esse problema?

A melhor forma de prevenir uma lesão no tendão calcâneo é por meio de exercícios excêntricos para a musculatura da panturrilha, realizados com repetições de movimentos na ponta do pé e voltando à posição inicial.

Quais as consequências das lesões?

O tendão calcâneo é uma estrutura fundamental para que possamos nos manter em pé, caminhar, correr e pular. Qualquer tipo de lesão prejudica todas essas atividades e, muitas vezes, o paciente nem mesmo consegue encostar o pé no chão.

Assim, a pessoa fica debilitada e não consegue desempenhar tarefas simples da rotina, como trabalhar, levar os filhos para a escola e ir para academia — praticar algum esporte nessas condições é praticamente impossível.

Como a lesão pode ser tratada?

Na grande maioria das vezes, o tratamento da lesão no tendão de aquiles é cirúrgico. Em alguns casos, no entanto, apenas a imobilização do tornozelo já produz resultados positivos.

“As cirurgias evoluíram muito nos últimos 15 anos com as técnicas minimamente invasivas. Agora podemos trabalhar com incisões menores, algo perto de 2,5 cm, diminuindo muito as complicações”, explica Barbosa.

Após o procedimento, é preciso proteger o tornozelo, o que é feito com o uso de uma tala gessada por 2 semanas em posição equino, ou seja, com o pé apontado para baixo.

Depois desse tempo, o paciente deve utilizar uma bota imobilizadora do tipo Robofoot, acompanhada de um conjunto de palmilhas para elevar o calcanhar (Kit Achilles), etapa em que é iniciada a reabilitação para voltar a apoiar o pé no chão com aumento progressivo de carga.

Após 1 mês, o paciente deve começar a retirar as palmilhas, uma por semana. Assim, de forma gradual, ele vai conseguir utilizar a bota 90 graus e pode até voltar a usar tênis.

Todavia ainda é recomendado utilizar uma palmilha de silicone de 2 cm para fazer a elevação do calcanhar.

Para ter uma recuperação completa, sessões de fisioterapia podem ser iniciadas 4 semanas após a lesão ou cirurgia. Alongamentos não são recomendados.

Como agir após uma ruptura de tendão?

Em caso de lesão, procure imediatamente um pronto-socorro e solicite atendimento por um médico especialista em Cirurgia do Pé e Tornozelo. O procedimento deve ser realizado em até 7 dias.

Quais os problemas de uma lesão não tratada?

A falta de tratamento pode gerar problemas como fraqueza para caminhar e praticar esportes, com diminuição da força de arranque e impulsão. Além disso, o tendão e o músculo podem ser infiltrados por gordura, o que prejudica a resistência e a elasticidade dessa estrutura e pode gerar problemas no futuro.

Uma lesão no tendão de aquiles precisa ser diagnosticada e tratada de forma correta. Procure um médico para receber as recomendações adequadas e siga o tratamento à risca. Assim, você terá uma recuperação completa.

Não deixe de conferir os nossos produtos ortopédicos para reabilitação de lesão no tendão de aquiles — eles são essenciais para a sua melhora!

Seguir Equipe Salvapé:

Fundada em 1938, a SalvaPé foi pioneira no mercado de produtos ortopédicos no Brasil. São mais de 80 anos trabalhando em parceria com os melhores profissionais da saúde do país para oferecer produtos com foco em inovação e qualidade. SalvaPé, desde 1938, Produtos Ortopédicos da Cabeça aos Pés.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *