Entenda sobre o Tratamento e Prevenção da Tendinite

Embora as inflamações nos tendões sejam um problema muito comum, felizmente, medidas para tratamento e prevenção da tendinite existem e são eficazes. Para isso, é necessário compreender o que é tendinite e também que a prevenção e o tratamento requerem a cooperação do próprio indivíduo para que seja possível preservar essas estruturas, tratar a lesão quando ela existir e evitar que aconteça outra vez.

A tendinite pode afetar pessoas de qualquer idade e está relacionada com as mais diferentes atividades e trabalhos. Por isso, conversamos com a fisioterapeuta Dra. Cândida Luzo para que ela nos explicasse exatamente o que é a tendinite, quais são os tratamentos que existem e ainda deixasse algumas recomendações para prevenir e evitar recidivas.

Continue lendo este artigo para conferir as informações que a Dra. Cândida deixou para nós e veja como cuidar bem de si mesmo para evitar os incômodos e limitações causados por esse problema. Ficou interessado? Então, venha conosco agora mesmo!

Entenda o que é Tendinite

O sistema locomotor do ser humano é composto por diversas estruturas diferentes que possibilitam ligar os tecidos uns aos outros, favorecer os movimentos e garantir a flexibilidade. Aqui, também estão inclusos os tendões, presentes em todo nosso corpo.

Eles são tecidos fibrosos que fazem a conexão entre os músculos e os ossos e, assim como outros, podem ser lesionados em virtude de alguns fatores. Um problema muito comum é a tendinite, processo inflamatório que pode se manifestar em qualquer tendão.

A tendinite é causada por uma sobrecarga nesse tecido, decorrente de um esforço ou movimentos repetitivos. Por isso, ela é classificada como uma LER (lesão por esforço repetitivo), afetando tanto trabalhadores quanto esportistas e até mesmo pessoas que têm hobbies ou realizam trabalhos e atividades que exigem os mesmos movimentos.

É isso que acontece, por exemplo, com músicos, pessoas que fazem crochê, tricô, costura manual, digitadores, jogadores de golfe, tênis, entre muitos outros. Qualquer um que realize constantemente os mesmos movimentos está sujeito a desenvolver uma tendinite.

Essa inflamação é um tipo de tendinopatia, mas se refere apenas às lesões agudas que afetam os tendões. É importante entender isso porque há casos de tendinose, uma complicação resultante da tendinite não tratada adequadamente. Acontece uma degeneração do tendão, nesse caso, um problema mais sério cujo tratamento também é diferente.

Veja quais são as principais causas da Tendinite

Uma das principais causas da tendinite é quando há uma inflamação que afeta os tendões, uma vez que eles não são tão fortes e maleáveis quanto os nossos ossos e músculos.

Ela pode acontecer da noite para o dia e pode ser ocasionada por diversos fatores de risco, tais como:

  • postura inadequada;
  • falta de alongamento muscular;
  • movimentos repetitivos;
  • estresse;
  • idade;
  • atividades esportivas em excesso;
  • tabagismo;
  • obesidade;
  • diabetes;
  • antibióticos;
  • atividades físicas sem técnica ou com os materiais inadequados;
  • doenças autoimunes.

Saiba quais são os fatores de risco da doença

É necessário ter atenção com os principais fatore de risco, afinal, eles podem prejudicar o tratamento da doença. Conheça quais são eles agora mesmo!

Idade

A tendinite pode acontecer em qualquer idade, no entanto, vale ressaltar que, na medida em que envelhecemos, os nossos tendões ficam mais suscetíveis a lesões. Isso acontece porque eles se tornam menos flexíveis, por isso, é muito mais comum ver a doença em adultos.

Trabalho

Por muitas vezes, na correria do dia a dia no trabalho, fazemos diversos movimentos repetitivos ou ficamos o dia inteiro em posições desconfortáveis. Isso contribui com o desenvolvimento da doença.

Prática esportiva

Os exercícios físicos são ótimos aliados da nossa saúde. No entanto, pessoas que praticam esportes regularmente são mais propensas a terem tendinite (principalmente quando o esporte envolve movimentos repetitivos, tais como: tênis, natação, andar de bicicleta, corrida, golfe e boliche).

Doenças

Algumas doenças como a diabetes e a artrite reumatoide contribuem para o favorecimento da doença.

Analise quais são os principais sintomas da Tendinite

Alguns sintomas são a presença de dor no local (normalmente, há a fadiga e a sensação de peso ocasionado pelo espasmo de proteção que irradia a musculatura ao redor do local). Assim, a dor piora com o movimento, fazendo com que haja a diminuição da força — em casos de longa duração, ela pode causar até mesmo a atrofia da musculatura.

Além da dor existem outros sintomas, tais como: inchaço, presença de calor no local, vermelhidão e até mesmo caroço (ele pode se desenvolver ao longo do tendão).

Verifique como é realizado o diagnóstico da doença

O diagnóstico da tendinite é realizado pelo médico, que fará diversas perguntas ao paciente (onde sente dor, se pratica algum esporte, se teve alguma lesão, se teve inchaço e outros).

Por meio dessa conversa e do histórico do paciente, o médico solicita o exame físico para procurar os locais de dor indicados pelo paciente (vale ressaltar que cada tendão tem um exame físico diferente). O profissional também pode solicitar exames complementares (ultrassom ou ressonância magnética) para avaliar o grau da inflamação.

A maioria dos casos é resolvido com repouso na área. No entanto, se os sintomas persistirem mesmo estando em repouso completo, é necessário retornar ao médico.

Entenda qual é o momento certo para buscar ajuda médica

Além de saber o que é tendinite, é importante compreender qual é o momento certo para buscar ajuda médica: assim que o paciente sentir dor constante em algum tendão ou qualquer um dos sintomas já apresentados neste conteúdo, é necessário agendar uma consulta no ortopedista ou fisioterapeuta.

As áreas mais afetadas pela tendinite são: mãos, ombro, cotovelo, quadril, joelhotornozelo e punho. Normalmente, a dor se concentra do lado em que o paciente tem mais força (pois ele acaba utilizando com mais frequência esse lado).

Outro detalhe muito importante é que se a tendinite não for tratada ela pode deixar sequelas no paciente: por exemplo, a cronicidade do quadro ou até mesmo a ruptura do tendão.

Além disso, como citamos anteriormente, vale ressaltar que existem alguns profissionais que desempenham atividades repetidas que têm mais probabilidade de desenvolver a tendinite, tais como: pianistas, bateristas, telefonistas, operadores de máquinas, digitadores, guitarristas e bailarinos. Portanto, tenha uma atenção dobrada se você trabalha em uma profissão em que seja necessário desempenhar atividades repetitivas.

Analise quais são os principais tratamentos para esse problema

É possível fazer o tratamento e prevenção da tendinite, sendo preferível estar atento ao segundo caso para evitar que os tendões fiquem inflamados. De toda forma, há técnicas diferentes para reverter o processo inflamatório, sendo que o procedimento varia de acordo com a necessidade de cada paciente.

A seguir, listamos as principais opções de tratamento para essa condição.

Tenha um descanso entre as suas atividades diárias

Para muitos pacientes, a tendinite pode ser revertida simplesmente mantendo o descanso. É preciso identificar a atividade que causou o problema e parar com a sua prática durante a recuperação.

O ideal seria fazer uma interrupção total dos movimentos, no entanto, pelo menos uma redução deles é necessária para preservar o tendão e evitar possíveis complicações. A aplicação de compressas frias ajuda nesse processo porque minimiza a progressão da inflamação.

Imobilize a área afetada

Para o período de descanso e recuperação do paciente, também é possível imobilizar a área afetada. Para isso, são utilizadas bandagens, cintas e, em casos mais graves, a imobilização total com gesso.

A intenção é reduzir a movimentação dos tendões para minimizar os sintomas e evitar o esforço e sobrecarga nessa estrutura, possibilitando a regressão dos sintomas.

Utilize as medicações corretas prescritas pelo seu médico

O médico também pode receitar algumas medicações com efeito analgésico e anti-inflamatório para minimizar sintomas e estimular a recuperação do tecido lesionado. Essas substâncias têm indicação para uso oral ou podem ser injetadas ao redor do tendão afetado e até mesmo em sua bainha.

No entanto, o profissional precisa analisar com cuidado a necessidade da aplicação de medicamentos, pois o uso constante de injeções acaba enfraquecendo o tendão e também aumenta o risco de ocorrer a sua ruptura.

Compareça a todas as suas sessões de fisioterapia

Outra alternativa são as sessões de fisioterapia para fazer a manipulação da área afetada. Movimentos e massagens específicos trazem alívio para os sintomas e ainda estimulam a recuperação do tendão, acelerando o processo de cicatrização.

O tratamento com fisioterapeuta é desenvolvido especificamente para cada paciente e com base no tipo de tendinite que se manifestou. A quantidade de sessões também varia conforme a necessidade, e ainda é possível que o especialista instrua o paciente sobre práticas caseiras que complementam a terapia e favorecem os resultados.

Faça cirurgia e terapia de onda de choque (se necessário)

Essas duas técnicas de tratamento da tendinite são indicadas para casos mais graves, quando há depósitos de cálcio ao redor do tendão. Eles podem ser eliminados tanto pela terapia de ondas de choque como também removidos cirurgicamente. Mas é válido ressaltar que isso ocorre em casos raros, sendo que as técnicas anteriores são suficientes para a maioria.

Confira algumas dicas para prevenir a tendinite e tenha mais qualidade de vida

Entre tratamento e prevenção da tendinite, todo especialista recomendará evitar que a inflamação se manifeste. Afinal, é preferível fazer pequenas mudanças em hábitos e comportamentos a ter que interromper as atividades para tratar uma lesão.

A boa notícia é que prevenir esse problema não é difícil. Mesmo que você realize uma atividade que esforce uma determinada parte do corpo, é possível preservar os tendões adequando o seu espaço, sua postura e os equipamentos que utiliza.

Gostou da ideia? Então, aproveite e veja a seguir algumas dicas para prevenir a tendinite. Vamos lá?

1. Programe pausas regulares entre as suas atividades rotineiras

Quando não for possível deixar de realizar os movimentos repetitivos, o ideal é programar pausas regulares para deixar os tendões descansarem. Se você não conseguir se lembrar sozinho, pode agendar um alarme no computador, celular ou relógio a cada uma hora, por exemplo.

Use esse tempo para fazer alongamentos na região explorada para favorecer a flexibilidade e estimular a circulação sanguínea. Desse modo, os tecidos serão oxigenados, nutridos e relaxados.

2. Pratique exercícios físicos moderadamente e com acompanhamento de um profissional

Se você pratica uma atividade de risco para o desenvolvimento da tendinite, procure um especialista para que ele possa lhe indicar exercícios específicos para proteger os tendões. Essas atividades fortalecerão os músculos ao redor dessa estrutura para que ela não sofra um esforço muito grande e se fortaleça.

3. Insira na sua rotina alongamentos diários

Na prática esportiva e de exercícios, é fundamental aquecer e alongar devidamente o corpo antes da atividade. Além disso, para encerrá-la é fundamental reduzir gradativamente o ritmo e depois alongar mais uma vez. Assim a tensão é eliminada e não há paradas bruscas.

4. Utilize equipamentos específicos para prevenir a tendinite

Existem produtos e equipamentos que podem ser utilizados tanto para adaptar o ambiente de trabalho, por exemplo, como proteger os tendões durante práticas esportivas e atividades.

A digitala é uma excelente alternativa, bem como as munhequeiras, braçadeiras, luvas ortopédicas, palmilhas, tornozeleiras, entre outros que evitam a sobrecarga dessas estruturas.

Vale ressaltar que os acessórios corretos ajudam a prevenir as lesões causadas pela prática do movimento repetitivo. Além dos materiais citados acima é necessário fazer uma análise no seu dia a dia e conferir em quais materiais você pode investir para evitar que o seu corpo faça muito esforço para alcançar os seus objetivos.

Mouses, teclados e monitores adaptados ajudam a evitar que o corpo trabalhe demais. Além disso, ter uma cadeira confortável e que deixe a sua postura correta é essencial para evitar e tendinite. Nesse aspecto, faça uma análise do seu dia a dia para encontrar maneiras para melhorar os seus hábitos e realizar menos esforços repetitivos, evitando a tendinite.

5. Promova a sua qualidade de vida

Ter mais qualidade de vida é essencial para evitar a tendinite. Portanto, além de investir em uma alimentação saudável e uma dieta balanceada para evitar o sobrepeso e também para o corpo ser nutrido pelas vitaminas que precisa (assim ele trabalha mais facilmente de forma automática e sem complicações), tenha um tempo só para você.

É essencial que você tenha algum hobbie mais tranquilo como ler livros, praticar meditação ou até mesmo fazer uma maratona de séries. Ter esse tempo só para você é importante para fazer com que você se desligue das atividades rotineiras e descanse o seu corpo e mente.

Saiba como evitar que a Tendinite volte

As mesmas dicas para fazer a prevenção da tendinite são aquelas recomendadas para evitar que ela volte. Como está relacionada com as atividades desempenhadas, há sempre a chance de o tendão ser sobrecarregado mais uma vez e inflamar — lembrando que quando a tendinite se torna muito recorrente e não é tratada adequadamente pode evoluir para complicações mais graves.

Sendo assim, se você já teve a tendinite é importante identificar aquilo que a está causando para adotar as medidas adequadas, a fim de adaptar os movimentos evitando a sobrecarga dessa estrutura. Converse com um especialista para que ele indique a melhor forma de fazer apresentação no seu caso.

A melhor forma de evitar a recidiva dessa inflamação é procedendo do modo correto, fazendo a devida adaptação do ambiente de trabalho e adotando hábitos para proteger o local lesionado.

O tratamento e prevenção da tendinite não são difíceis de realizar, mas o ideal é proteger os tendões. Sendo assim, os equipamentos são fundamentais para evitar essa inflamação. Então procure por um fabricante de confiança, a fim de adquirir produtos ortopédicos eficazes que trarão resultados satisfatórios.

Entender o que é tendinite é importante para que identificar se o paciente se encaixa em algum dos sintomas e buscar auxílio médico imediatamente. Ela é uma constante inflamação nos tendões, quando há a sobrecarga nos tecidos decorrentes de um determinado esforço ou movimentos repetitivos.

Neste post, você aprendeu o que é tendinite e tudo sobre esse universo. Você sente dor ou desconforto em algum tendão? Já teve tendinite? Conte para nós a sua experiência! Deixe um comentário neste conteúdo: será um prazer trocar uma ideia com você!

Seguir Equipe Salvapé:

Fundada em 1938, a SalvaPé foi pioneira no mercado de produtos ortopédicos no Brasil. São mais de 80 anos trabalhando em parceria com os melhores profissionais da saúde do país para oferecer produtos com foco em inovação e qualidade. SalvaPé, desde 1938, Produtos Ortopédicos da Cabeça aos Pés.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *