Saiba quais são os principais tipos de fratura

postado em: Ortopedia | 0

Os ossos são estruturas fortes e resistentes, mas podem sofrer quebraduras por causa de quedas ou fortes impactos. Você sabe quais são os diferentes tipos de fratura que podem ocorrer no seu corpo? 

Separamos as principais informações sobre fraturas para que você saiba o que fazer caso enfrente esse problema algum dia. Continue a leitura deste post e tire as suas dúvidas!

O que são as fraturas?

Trata-se da perda da continuidade do osso, ou seja, a ruptura dessa estrutura em dois ou mais pedaços. 

Quais são as causas mais comuns das fraturas?

Geralmente as fraturas acontecem por causa de pancadas, quedas ou acidentes. Além disso, algumas lesões podem ocorrer devido à prática de esportes, como acontece com os corredores de longas distâncias.

Idosos e mulheres na menopausa, que têm os ossos mais frágeis, correm risco de sofrerem fraturas mesmo em atividades normais do dia a dia. 

Alguns distúrbios podem enfraquecer os ossos e facilitam a sua quebra, tais como infecções, tumores ósseos benignos e malignos, além da osteoporose

Quanto aos locais, as fraturas de braço, antebraço, mão, pé e clavícula são as mais comuns, ao contrário dos ossos das pernas, que são mais resistentes e difíceis de serem quebrados. 

Quais são as diferenças entre os tipos de fratura?

As fraturas são classificadas de acordo com a sua causa. Assim, elas podem ser: 

  • traumáticas — que ocorrem como consequência de um acidente ou de uma queda, quando há aplicação de força intensa sobre o osso ou devido a movimentos repetitivos, que prejudicam a estrutura aos poucos; 
  • patológicas — causadas por uma doença ou condição que deixe os ossos mais fracos. Dessa forma, eles quebram sem explicação ou devido a impactos muito leves. 

Além disso, a classificação também define quais são os tipos de fratura. São elas:

  • simples — quando apenas um osso é quebrado e a lesão permanece fechada, ou seja, a estrutura não rompe a pele;
  • expostas — que provocam a perfuração da pele e permitem a visualização do osso. Por resultarem em um machucado aberto, essas condições estão mais sujeitas ao risco de infecções e a recuperação é mais lenta;
  • complicadas — são as fraturas que afetam outras estruturas além dos ossos, como os músculos, os nervos ou os vasos sanguíneos. Como o nome já sugere, esse tipo de lesão apresenta uma recuperação mais difícil; 
  • incompletas — são as lesões nos ossos que não causam a quebra completa, mas que geram os mesmos sintomas. Nesse caso, a recuperação é mais rápida. 

Quais são os sintomas das fraturas?

As fraturas geram sinais e sintomas muito característicos, entre eles:

  • dor intensa e inchaço no local fraturado;
  • incapacidade parcial ou total de mexer o membro fraturado;
  • deformidade, hematomas e ferimentos no local;
  • dormência, formigamento e estalos na área da fratura.

Como é feito o diagnóstico?

O paciente deve procurar o pronto-socorro assim que desconfiar que sofreu uma fratura, especialmente se a lesão foi causada por um problema grave, como um acidente de trânsito ou uma queda de altura.

Não é indicado tentar colocar o osso ou membro no lugar, pois isso pode resultar em ainda mais danos, além de ser muito doloroso. Procure ajuda médica para que as atitudes corretas sejam tomadas. 

Triagem

No hospital, o médico vai fazer uma primeira avaliação, que inclui a verificação do pulso, a aferição da pressão arterial e a análise da sensibilidade da pele, de forma a avaliar os sinais vitais e as lesões em nervos ou outros órgãos do corpo. 

Havendo qualquer complicação, a equipe vai aplicar o tratamento conforme a necessidade para, depois, continuar a avaliação da fratura.

Exame físico 

Nesse procedimento, o médico vai perguntar qual foi a causa da lesão, o nível de intensidade de dor que o paciente está sentindo e vai fazer um exame físico, examinando o osso lesionado e suas articulações.

Exames de imagem 

A próxima etapa é encaminhar o paciente para realizar uma radiografia, exame que vai confirmar a fratura. Geralmente são tiradas pelo menos duas radiografias em ângulos diferentes para verificar o alinhamento dos fragmentos ósseos.

Além disso, em alguns casos, técnicas como ressonância magnética e tomografia computadorizada também podem ser utilizadas para fechar um diagnóstico. 

Esses exames fornecem uma visão mais detalhada da fratura e ajudam a identificá-la quando somente a radiografia não é suficiente. 

Exames complementares

Por fim, o médico também pode pedir outros exames complementares, como a angiografia — para verificar se ocorreram danos em vasos sanguíneos — e estudos de condução nervosa — para averiguar se algum nervo foi danificado. 

Quais são as opções de tratamento?

O tratamento de fraturas consiste no reposicionamento do osso, o que pode ser feito de forma manual ou por meio de procedimentos cirúrgicos. Além disso, é preciso fazer a imobilização do membro com gesso, talas ou órteses para cicatrização, e posteriormente algumas sessões de fisioterapia para a recuperação dos movimentos. 

Cirurgia

O tratamento cirúrgico para fraturas é indicado em casos mais graves, quando é necessário consertar a estrutura com o uso de parafusos ou placas de metal. 

A cirurgia deve ser feita com urgência e, depois dela, o paciente permanece imobilizado por alguns dias. 

O curativo deve ser trocado todas as semanas, e caso esteja com placas ou parafusos, esses dispositivos devem ser retirados após o tempo estabelecido pelo médico. 

Imobilização

O tempo de imobilização dura cerca de 30 dias, mas pode variar dependendo da gravidade do caso e das condições de saúde do paciente. Assim, o tempo total de recuperação pode ser maior ou menor.

Fisioterapia

O tratamento fisioterapêutico após fraturas consiste em recuperar a mobilidade da articulação afetada depois da retirada do gesso, da tala ou da órtese.

A fisioterapia deve ser realizada todos os dias com o objetivo de aumentar a amplitude dos movimentos da articulação e a força muscular.

Depois da recuperação, é recomendado apostar em atividades físicas, de acordo com a indicação médica, e aumentar o consumo de alimentos ricos em cálcio — para fortalecer os ossos.

Agora que você descobriu quais são os principais tipos de fratura, como é feito o diagnóstico e quais são os passos para o tratamento dessas lesões, se quebrar algum osso, você já sabe o que fazer: procure um médico para que essa condição seja tratada corretamente e você possa recuperar a sua saúde e a sua qualidade de vida!

Precisa de produtos ortopédicos para imobilização? Entre em contato conosco e conheça os nossos produtos. Até mais!

Powered by Rock Convert
Seguir Equipe Salvapé:

Fundada em 1938, a SalvaPé foi pioneira no mercado de produtos ortopédicos no Brasil. São mais de 80 anos trabalhando em parceria com os melhores profissionais da saúde do país para oferecer produtos com foco em inovação e qualidade. SalvaPé, desde 1938, Produtos Ortopédicos da Cabeça aos Pés.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *